Etapas para a execução da estratégia

HomeBlogPlanejamento estratégicoEtapas para a execução da estratégia

Etapas para a execução da estratégia

Estratégia parada: 85% dos executivos investem menos de uma hora por mês discutindo a estratégia da empresa

 

• 1ª Etapa – Mobilizar e comprometer os envolvidos

Mobilizar e comprometer os envolvidos, por meio da identificação conjunta de problemas e suas soluções. Expor a justificativa da implementação da estratégica de forma convincente. É importante ter os objetivos claros para melhor transmiti-los aos empresários e funcionários, de modo a esclarecer ao máximo os benefícios da mudança. É essencial o envolvimento permanente das lideranças (presidente, dirigentes e gestores). Além disso, deve abranger os diferentes níveis (estratégicos e operacionais) para que as decisões sejam rapidamente convertidas em ações.

2ª Etapa – Desenvolver uma visão clara de futuro

Desenvolver uma visão clara de futuro e desdobrá-la na organização. Deve-se descrever um futuro desejável de forma realista. Em seguida, desdobrar metas e ações estratégicas por toda a organização, explicitando a contribuição de cada unidade/equipe para o alcance dos objetivos/resultados.

3ª Etapa – Elaborar um plano de implementação e concentrar-se nele.

Há a necessidade de formular um plano básico de ações que explicite “o que fazer”, “quando fazer” e “como fazer”. O plano deve ser simples, incluir contribuições das pessoas envolvidas e, por fim, flexível. Todos devem saber exatamente seu “campo de atuação/decisão” e atos de sua responsabilidade.

4ª Etapa – Concentrar-se em resultados, não em atividades.

Muitos cometem o erro de concentrar a atenção em atividades que, pela lógica, devem produzir resultados desejados. Esse foco acaba por ser prejudicial, pois, em alguns casos, podem ser realizadas atividades que pouco ou nada contribuem para o aperfeiçoamento do desempenho da organização, bem como minimizam as possibilidades de inovação.

5ª Etapa – Implementar a estratégia por pequenas partes

Começar a implementação da estratégia por pequenas partes. Não tentar implantar tudo de uma só vez. Após realizar uma mudança em menor escala, testemunhada pelos funcionários, a difusão da iniciativa de execução da estratégia por toda a organização é muito mais provável. Sempre que possível desmembre a implementação em pequenas partes e crie pilotos. A criação de pilotos gera experiência e elimina erros da implantação antes de partir para a implementação mais ampla.

6ª Etapa – Institucionalizar as conquistas por meio de políticas, sistemas, manuais e estruturas formais

Após atingir o objetivo, as realizações devem ser consolidadas e institucionalizadas por meio de políticas formalizadas.

7ª Etapa – Monitorar, avaliar e ajustar a estratégia

Monitorar, avaliar e ajustar a estratégia em respostas aos obstáculos encontrados. A execução da estratégia dificilmente transcorre completamente conforme o planejado. Problemas e imprevistos surgem à medida que a implementação avança. Desse modo, os responsáveis precisam ser flexíveis e capazes de se adaptar rapidamente e corrigir possíveis desvios. O monitoramento e avaliação intensiva da estratégia são essenciais para gerar informações sobre o desempenho e promover a incorporação de tais informações no processo decisório, objetivando o aprendizado, transparência e responsabilização. A estratégia deve ser acompanhada periodicamente por meio de painel de controle e eventos sobre o desempenho (reuniões, seminários), entre outras formas de comunicação que acelerem o aprendizado. A aprendizagem, portanto, constitui uma característica fundamental, pelas quais as organizações acumulam competências e habilidades e tornam-se mais efetivas.

Leia o artigo completo: Como executar a estratégia em 7 etapas, de Humberto Falcão Martins e João Paulo Mota